3 práticas para fingir seu temor a Deus

Quer diminuir seu temor a Deus? Este é um guia irônico de como, em 3 passos fáceis, você será capaz de estar inclinado às paixões do seu coração e, pelo próprio esforço, não temer ao Senhor.

Passo 1: “Ajoelhe-se, afinal ‘temor a Deus’ é um teatro”

Tudo começa pela aparência! Aquele que busca ter uma aparência piedosa lutará com todas as suas forças para manter um grande espetáculo exterior — vazio de temor interior —, mas com toda a sua inclinação e esforço para apenas demonstrar, em obras, que guarda (só) certos tipos de mandamentos.

Você ainda poderá ser interpretado como alguém pragmático, afinal está buscando evidenciar o temor por uma lista de coisas que devem ou não serem feitas.

Veja, até mesmo um dos grandes reformadores, Martinho Lutero, acreditou em um ponto da sua vida que seus atos de justiças externas, confissões e autoflagelação o ajudariam a se tornar um monge mais justo diante de Deus.

A verdade sobre como crescer em temor do Senhor:

“Os Reformadores estavam profundamente preocupados com a facilidade com que podemos confundir a realidade do temor de Deus com um espetáculo exterior e vazio. Como disse Martinho Lutero:

Temer a Deus não é apenas cair sobre os seus joelhos. Mesmo um homem sem Deus e um ladrão podem fazer isso. Da mesma forma, quando um monge põe sua confiança em seu traje de monge e em suas regras, isto é idolatria.

A Escritura apresenta o temor de Deus como sendo, principalmente, uma questão interna das inclinações do coração. Ela descreve a forma e a medida do anelo cristão apropriado. Assim lemos no Salmo 112.1:

“Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor e se compraz nos seus mandamentos.”

Aquele que teme o Senhor, então, não é quem meramente procura, com má vontade e externamente, guardar os mandamentos do Senhor. Aquele que verdadeiramente teme o Senhor tem grande prazer em seus mandamentos!”

Passo 2: “Cuidado com a cruz, até pagão temeu ao Senhor lá”

Desenvolva um medo da cruz! Afinal, ela traz consigo exigências para o coração. Vincule sua definição de temor a Deus àquilo que a Escritura nunca disse.

Para contornar a cruz, você precisa mudar seus hábitos. Não precisa mudar por inteiro. Mudar os hábitos já demonstrará para tudo o mundo que foi transformado. Daí, você pode deixar seu coração livre para ter seu comportamento natural, sem interferências que possam advertí-lo ou indicar qualquer tipo de caminho de arrependimento.

A verdade sobre como crescer em temor a Deus:

A cruz, pelo perdão que ela traz, liberta-nos do medo pecaminoso. Mas, muito além disso, cultiva também a mais singular adoração do Redentor, com grande temor. Pense na mulher pecadora, com Jesus na casa de Simão, o fariseu: ela estando aos pés de Jesus, “chorando, regava-os com suas lágrimas e os enxugava com os próprios cabelos; e beijava-lhe os pés e os ungia com o unguento” (Lc 7.38) […] Jesus mencionou o amor demonstrado por aquela mulher, mas a intensidade da atitude exterior empregada em sua demonstração de afeto retrata o temor apresentado na Escritura. Ela agiu com um amor repleto de temor. Ou, em outras palavras, o seu amor era tão intenso, que era também cheio de temor.

Passo 3: “Cantar da boca para fora é chave para mostrar seu temor a Deus”

Encene! Cantar é um ato que pode ser feito com toda afeição. Você não quer isso! Faça de forma automática. Sabe, como entoar o hino nacional sem (1) entender qualquer frase e (2) invertendo (ou inventando) as palavras.

Outra forma bem perspicaz é aproveitar a música para, em público, mexer todo o corpo, levantar as mãos, movimentar os lábios. Cuidado! Você deve manter seu coração fora disse.

A verdade sobre como crescer em temor ao Senhor

Na verdade, o temor do Senhor é a razão pela qual o cristianismo é a mais cheia de canções dentre todas as religiões. É a razão pela qual os cristãos, seja adorando juntos, seja transbordando em cânticos, sempre procuram fazer melodia sobre a sua fé. Instintivamente, os cristãos cantam para expressar o sentimento que há por trás das palavras de louvor e mexer com as emoções, sabendo que as palavras faladas de forma fria não são adequadas na adoração a este Deus. O fato de sabermos que o nosso Deus se deleita em nós com alegria e se regozija em nós com júbilo (Sf 3.17) nos faz regozijar e exultar por ele, retribuindo com sinceras melodias.

Pare de fingir seu temor a Deus!

Deus abomina a religião hipócrita. Veja as palavras de alerta do Senhor contra o culto da boca para fora:

O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu, continuarei a fazer obra maravilhosa no meio deste povo; sim, obra maravilhosa e um portento; de maneira que a sabedoria dos seus sábios perecerá, e a prudência dos seus prudentes se esconderá. (Is 29.13, 14)

Devemos tomar cuidado para que não caiamos em um falso temor ao Senhor, uma falsa piedade que nega o poder da cruz em transformar corações.

Autor: Marcílio Augusto Pimentel Lara

Fonte: Voltemos ao Evangelho

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *