Segunda vinda | Há relação entre alegria e a segunda vinda de Cristo?

Pastor John, você escreveu este novo livro, “Vem, Senhor Jesus: Meditações sobre a Segunda Vinda de Cristo (Crossway, 2023 – e em breve em português pela Editora Fiel)”. E hoje quero ouvir o que você aprendeu.

Você já disse muitas vezes que faz descobertas enquanto escreve. 

À medida que você escreve mais, você vê mais. Então, ao escrever este novo livro sobre a segunda vinda de Cristo, o que você viu com mais clareza? Que descobertas se destacam? E particularmente, você fez alguma descoberta importante sobre como o hedonismo cristão ecoa na segunda vinda de Jesus?

 

Bem, a descoberta chave da ligação entre o Hedonismo Cristão e a segunda vinda, aconteceu há muito tempo, não enquanto eu estava escrevendo o livro. Aconteceu há muito tempo, quando eu estava tentando entender pela primeira vez a relação entre a centralidade de Deus em Deus e o amor de Deus por nós. Assim que li no seminário o livro de Jonathan Edwards, “O fim para o qual Deus criou o mundo“, comecei a ver em todas as partes das Escrituras declarações no sentido de que Deus faz tudo por causa do seu nome ou para a sua glória.

Isso é o que quero dizer com “a centralidade de Deus em Deus”: fazer coisas por causa do seu próprio nome. Ele predestinou a salvação para sua glória (Efésios 1.5–6). Ele criou o mundo para sua glória (Isaías 43.7). Ele guiou a história de Israel para sua glória (Jeremias 13.11). Ele enviou Cristo ao mundo para sua glória (Romanos 15.8–9). Ele perdoa pecados agora para sua glória (1 João 2.12). Ele santifica seu povo para sua glória (2 Tessalonicenses 1.11–12).

Glória no Retorno de Cristo

Então perguntei: “Isso é verdade para a segunda vinda?”. E a resposta que Paulo dá em 2 Tessalonicenses 1.7-10 é simplesmente incrível, porque não apenas mostra que Jesus está voltando para sua própria glória, mas o faz de uma forma que é uma resposta à pergunta: “Bem, como é que a auto-exaltação de Cristo na segunda vinda é realmente um ato de amor pelo seu povo?” Geralmente pensamos que a exaltação própria e o amor são opostos. Como isso funcionará na segunda vinda? Deixe-me ler a resposta de Paulo:

[Ele] concederá alívio e a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus.  Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e  da glória do seu poder,  [e aqui vem a frase-chave]  quando vier para ser glorificado nos seus santos…

Então faça uma pausa aqui antes de terminar a frase. Jesus está voltando “para ser glorificado nos seus santos”. É isso que quero dizer quando digo que ele se exalta. Existe a auto-exaltação de Cristo. Ele está voltando para ser exaltado. Ele está voltando para ser glorificado. Seu objetivo ao vir é que ele seja exaltado, glorificado. Esse é o seu propósito ao vir, de acordo com esse versículo. E seria fácil mostrar que isto é, obviamente, o mesmo que o objetivo de Deus de ser glorificado em tudo o que faz, porque Deus vai enviar Cristo de volta para que, assim como o Filho é glorificado, o Pai seja glorificado nele.

Cristo glorificado pelo nosso maravilhar

Depois vem a reviravolta hedonista essencialmente cristã no versículo 10: “quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram.”. Então ele vem para ser glorificado nos santos e ser admirado entre os santos. E eu pergunto: E quando ele vier naquele dia para ser glorificado e maravilhado, meu entendimento é que esses dois atos (ser glorificado, ser maravilhado) dos crentes na vinda de Cristo não são distintos. Ficar maravilhado é a forma como Cristo será glorificado quando vier. Ele é glorificado por ser maravilhado.

Agora, vamos pensar sobre isso, porque isto está bem no cerne do Hedonismo Cristão. O que é maravilhar-se? Outra palavra para maravilhar-se é ficar maravilhado. Assombro e admiração não são pensamentos; são emoções. Se você vê algo maravilhoso e não sente nada, você não está maravilhado – não me importa o que você pensa. Se você vê algo incrível e não sente nenhum espanto, você não fica surpreso. Maravilhar-se é um sentimento. Ficar maravilhado é um sentimento, não um mero pensamento. Bem, que tipo de sentimento é esse? É uma sensação boa. As pessoas perseguem o espanto; eles perseguem a maravilha. É por isso que vamos às montanhas e aos cânions. É por isso que saímos das luzes da cidade para poder ver as estrelas. As pessoas pagam para se surpreender, para se maravilhar. É uma sensação boa; é um sentimento desejável. É uma espécie de prazer, alegria e satisfação.

E você vê onde isso nos deixa. “Ele vem naquele dia para ser glorificado e maravilhado” – isto é, ele vem para ser glorificado em nós pelo nosso maravilhamento com ele. Ele será glorificado em nós quando experimentarmos a satisfação de nos maravilharmos com ele em sua vinda. É puro hedonismo cristão. É a maneira como Deus projetou o universo. Ele receberá glória. É por isso que ele fez tudo. Ele receberá glória e nós teremos alegria. E ao obtermos a alegria na sua glória, ele obterá a glória da nossa alegria, que é a resposta à pergunta: “Agora, como é amoroso para Deus ser tão centrado em Deus? Como é amoroso para Cristo ser tão exaltador de Cristo?” E a resposta é: Cristo não está exaltando a Cristo às nossas custas. Ele está exaltando a Cristo através da nossa alegria.

Amee sua aparição

A maneira como ele maximiza sua glória é maximizando nossa alegria nessa glória. Ele magnifica o esplendor de sua glória multiplicando o maravilhamento das pessoas nessa glória. Quanto mais nos maravilhamos, mais ele brilha; quanto mais nos maravilhamos, mais felizes somos. É uma forma de felicidade. Isto é amor. Bem no centro do design do universo está o amor. Então, sim, eu vi uma relação entre a segunda vinda e o hedonismo cristão, e isso vai ao cerne dos propósitos e caminhos de Deus na criação, na redenção e na consumação do mundo.

Cristo virá “naquele dia para ser glorificado nos seus santos e ser admirado por todos os que creram”, o que nos leva de volta ao versículo do qual todo o livro surgiu – a saber, 2 Timóteo 4.8, que diz: “Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.” E esse amor é um amor desejoso. É um amor acalentado, um amor precioso, um amor saudoso. É o tipo de amor que quer o amado.

E o que a descoberta do hedonismo cristão na segunda vinda faz é simplesmente acrescentar outra razão, uma razão incrível, para amarmos a vinda do Senhor. E essa é minha oração por mim mesmo e porque escrevi o livro.

 


Conheça os livros de John Piper pela Editora Fiel – clique aqui.

Veja mais episódios do John Piper Responde – clique aqui!


Fonte: https://voltemosaoevangelho.com/blog/2024/01/ha-relacao-entre-alegria-e-a-segunda-vinda-de-cristo/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *