Seja um jovem com hábitos santos

O que os jovens se tornarão certamente depende muito do que eles são agora. Eles parecem se esquecer disso.

Sou pastor, e o meu dever ocupacional requer que eu leia. Então, pelos últimos 35 anos eu consegui, literalmente, toneladas de livros. Meu escritório, minha casa e até mesmo o meu quarto está inundado de livros. Alguns eu me lembro de ter comprado, e outros de ter recebido como presente. Eu não sei se recebi ou comprei Uma Palavra aos Moços do J.C. Ryle, mas eu sei disso: que Deus o usou para me mudar permanentemente. 

Eu li e reli esse livro inúmeras vezes. O compartilhei inúmeras vezes. Eu amo o livro inteiro, mas, particularmente, uma seção chamada “Como os jovens serão depende, em grande parte, do que eles são agora”. Como alguém em torno dos 20 anos que desejava ardentemente conhecer e agradar a Deus, fui extremamente impactado pelo que li.

Outro motivo pelo qual quero te encorajar é esse: O que os jovens se tornarão certamente depende muito do que eles são agora. Os jovens parecem se esquecer disso… Por que eu digo tudo isso? Porque hábitos são difíceis de se quebrar… Hábitos possuem raízes profundas. Se permitir que o pecado construa um lar no seu coração, você não conseguirá expulsá-lo quando bem entender. Os hábitos se tornam uma segunda natureza; e suas correntes são como “o cordão de três dobras (que) não se rebenta com facilidade.” … Hábitos, como árvores, são fortalecidos pela idade. Uma criança pode curvar um orvalho enquanto ele ainda é um pequeno broto; mas uma centena de homens não conseguem arrancá-lo pela raiz quando for uma árvore crescida… Hábitos bons ou maus estão ficando mais fortes em seus corações a cada dia. Todo dia você está se aproximando ou se afastando de Deus. A cada ano que você permanece sem se arrepender, a parede que separa você e o céu se torna maior e mais grossa; o abismo a ser atravessado se torna mais profundo e maior. Tenha medo do efeito endurecedor de permanecer no pecado dia após dia! Agora é o momento para se fazer algo a respeito disso. (Uma Palavra aos Moços, 15,17-18).

Através da caneta de J.C. Ryle, Deus inflamou dois desejos em mim que se tornaram hábitos santos na minha caminhada cristã – um dos desejos foi um medo saudável do pecado, e o outro um anseio por agradar a Deus.

Fuja de Hábitos Pecaminosos

A vida é direcional, e andar no caminho errado leva a se enroscar cada vez mais profundamente no pecado. Como uma criança com medo de se perder, eu tinha medo de ter minha mão arrancada da do meu Pai pelo pecado. Deus me motivou, através da admoestação do Ryle, a desenvolver os hábitos de evitar a tolice e buscar sabedoria, que vieram do temor a Deus. 

Hábitos santos são meios de graça que atiçam a chama do seu amor por Deus e mantém o amor dele por você diante dos seus olhos.

Pela graça de Deus, desenvolvi relacionamentos reais e transparentes e amizades onde responsabilidade era esperada e praticada. Deus agitou meu coração para que eu fugisse dos meus antigos hábitos pecadores ao invés de ceder para eles. Ele me levou a buscar, encontrar e a escutar os conselhos de cristãos mais velhos e mais sábios.

Se você é um homem ou uma mulher mais velha lendo isso, eu encorajo você a buscar jovens homens e mulheres e os ensine sobre essa verdade. O eterno bem-estar de nossas almas depende de lutarmos pela graça de Deus ao invés de ceder e assumir que Deus tem uma graça que permite o pecado (Romanos 6.1-2; 1 Tessalonicenses 4.1-8). Satanás sussurra suas mentiras nos ouvidos de todo jovem cristão dizendo que as leis de Deus são muito rigorosas e que o pecado é muito prazeroso para se rejeitar. Diga a verdade para eles! O pecado escraviza e leva à morte, mas conhecer a Deus através de Cristo vai nos satisfazer infinitamente mais do que qualquer ganho terreno pode (Filipenses 3.8). Portanto, ninguém pode ser considerado radical demais por fazer morrer hábitos que levam ao pecado (Mateus 5.29-30; Colossenses 3.5).

Construa Hábitos Santos

Deus também usou o Ryle para me ensinar o poder santificador dos hábitos santos. Nós experienciamos essa dinâmica em todos os nossos relacionamentos. Nos tornamos mais próximos de alguém ou nos afastamos dependendo dos hábitos que praticamos. Hábitos santos são meios de graça que atiçam a chama do seu amor por Deus e mantém o seu amor por você diante dos seus olhos. Em resumo, Deus me deu um desejo ardente de experimentá-lo através dos seus meios de graça santificadores. 

Eu desenvolvi um hábito de orar assim que acordo toda manhã. E me comprometi também a ler a Bíblia não importa o quão cheia minha agenda esteja. Então, após finalizar grandes projetos da escola e chegar no período de provas finais, você ainda poderia me encontrar na biblioteca durante o horário de almoço, lendo a minha Bíblia. Enquanto semanas se tornaram meses, e meses em anos, e agora anos se tornaram décadas, meus compromissos se tornaram hábitos para a vida. Esses hábitos santos me capacitaram a, através da graça de Deus, crescer no conhecimento do meu Deus e do seu amor por mim.

Me admira o quão fácil cristãos negligenciam fazer da comunhão um hábito pilar para suas vidas.

Além do culto de domingo de manhã, também me comprometi a frequentar a escola dominical e o estudo bíblico durante a semana. Lá aprendi a como estudar minha Bíblia. Aprendi teologia. Aprendi sobre os livros fundamentais da Bíblia. E aprendi teologias práticas, sobre como compartilhar o evangelho e como discipular ou liderar um pequeno grupo. Me admira o quão fácil cristãos negligenciam fazer da comunhão um hábito pilar para suas vidas.

Considere 2 Timóteo 2.22: “Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz”. Por um lado, Paulo ordena que Timóteo, um jovem, fuja das paixões da mocidade e a busque virtudes piedosas. E então ele o encoraja a não apenas fazer isso, mas para fazê-lo “com os que, de coração puro, invocam o Senhor”. Esse é o ponto. Falhar em ter comunhão com cristãos piedosos e ser descompromissado é abrir mão de meios poderosos de graça que vão te ajudar a lutar contra o pecado e a buscar piedade. Jovens leitores, oro para que vocês sejam sábios e escutem enquanto adiciono meu testemunho à exortação do Ryle.

Aprenda com um homem morto

O que estou dizendo sobre esses hábitos não é um insight profundo. Por que esperamos que os meios de graça que nos santificam sejam complicados demais para que um bebê em Cristo os entenda e aplique? Deus lida conosco como seus filhos e nos alimenta adequadamente para que possamos crescer. O que Ryle encoraja seus jovens leitores a fazer é o que a Escritura diz que os primeiros Cristãos fizeram. Eles “perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” (Atos 2.42).

Na primeira vez que li o seu livro que mudou a minha vida, já fazia cerca de cem anos que o Ryle tinha se juntado ao Senhor. Isso não impediu Deus de usar suas palavras perfeitamente elaboradas para discipular esse garoto novo convertido sentado nas salas de aula seculares da UCLA. Se Cristo demorar mais cem anos para retornar, tenho certeza de que haverá inúmeros outros jovens Bobby Scott por aí que, como jovens cristãos, precisam ser confrontados e exortados. Oro para que você e eu sejamos fiéis para nos juntarmos a ele na missão de chamar jovens moços a terem esses hábitos santos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *