Me reconhecem como o quê?

Ser cristão não significa que você é querido em todos os lugares.  Também não é sinônimo de ser ouvido pelos outros. Lembre-se das vezes que tentou evangelizar alguém e recebeu em troca a indiferença da pessoa.

Frequentar uma igreja está longe de ser prova legítima de que a pessoa segue a Cristo. Infelizmente, há quem se habitue a visitar uma congregação não com vontade de se aproximar de Deus, mas com interesse de obter vantagens ou se sentir prestigiado pelos demais membros.

Uma maneira simples de avaliar o grau de comprometimento da pessoa com o Senhor é conversar com ela. Isto também serve como auto avaliação. Jesus ensina que nossa boca fala sobre o que enche nosso coração (Lucas 6.45). Caso não seja Ele próprio assunto recorrente de nossos diálogos e meditações, provavelmente não temos sido bons discípulos.

Outra coisa, o fato de possuir um círculo de amizades com pessoas não convertidas não é razão para ceder e participar das preocupações que elas têm. Em Mateus 6.31-33, o Senhor ensina que as questões mundanas tiram o sono daqueles que não estão achegados a Deus. Aqueles que buscam Seu Reino e Sua justiça são abençoados nessas áreas sem nem fazer esforço.

Você também não é obrigado a falar mal dos outros porque todos falam. Ou de agir como um pecador só por ter amigos que pecam. Paulo é bem categórico quando escreve à igreja de Corinto:

Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? 2 Coríntios 6.14-15

“Quer dizer que tenho que deixar de falar com meus amigos que não são crentes?”. Não é preciso ser tão radical. Basta que você respeite a tênue linha que separa as pessoas que influenciam das que são influenciadas. Claro que a escolha que precisa tomar é a de influenciar positivamente os amigos não cristãos. Crie oportunidades de evangelizar sem se tornar um chato. E fique tranquilo: o Espírito Santo capacitará para que esses momentos ocorram com frequência.

É tudo uma questão de caráter, que devemos ter cada dia mais aperfeiçoado, à semelhança de Cristo. Se é para sermos conhecidos, que sejamos como homens e mulheres que ouvem a voz de Deus e O fazem ser conhecido por quem está ao redor.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *