O que significa ser demasiadamente justo?

Transcrição do áudio

A pergunta de hoje também é muito interessante. Vou ler agora:

“Oi Pastor John Piper, por favor explique dois textos bíblicos pra mim. O primeiro é Eclesiastes 7.16 “Não seja demasiadamente justo”. Concilie essa passagem com a advertência de Pedro ao dizer em 1 Pedro 1.15, 16 “Agora, porém, sejam santos em tudo que fizerem, como é santo aquele que os chamou. Pois as Escrituras dizem: “Sejam santos, porque eu sou santo.” 

O que significa ser “demasiadamente justo”? 

 

Outro dia ouvi uma piada de mau gosto, achei engraçada e ri muito. Depois me senti culpado e comentei esse sentimento com um amigo que afirmava ser cristão. Ele disse que eu não deveria me sentir culpado e citou o versículo que acabei de ler. Ele mencionou a Bíblia, mas eu não senti paz. Como esses dois textos podem estar certos Pastor John?

Eu fico feliz porque você diz que não sentiu paz. Eu também não me sentiria em paz nessa situação. Quando ouvi sua pergunta imediatamente pensei: “Não deveria tentar responder isso porque não tenho certeza do que o autor de Eclesiastes 7.15-18 realmente quis dizer. Lembro que passei muito tempo estudando essas passagens bíblicas, estudando comentários bíblicos a esse respeito e estudando Hebreus e no final pensando: “Talvez agora eu entenda, mas francamente ainda não tenho certeza”. E logo depois eu pensava: “Bem, eu deveria admitir isso publicamente.” E deveria fazer um esforço ainda maior porque existem muitos versículos em Eclesiastes que eu não entendo completamente. O livro inteiro parece um quebra-cabeças pra mim, eu deveria pelo menos tentar encontrar uma interpretação que faça sentido, mesmo que não tenha certeza se é a correta. 

Vamos ler Eclesiastes 7.15 a 18

Vi de tudo nesta vida sem sentido, incluindo justos que morrem cedo e perversos que têm vida longa. Portanto, não seja justo nem sábio demais! Por que destruir a si mesmo? Tampouco seja perverso demais. Não seja tolo; por que morrer antes da hora? Preste atenção a estas instruções, pois quem teme a Deus evita os dois extremos.”

Levemente injusto?

Agora, sem um contexto ou sem nenhum senso do que o autor queria dizer sobre retidão e perversidade, suponho que você poderia dizer que esses versos querem dizer o seguinte: “Seja um pouco perverso: conte algumas piadas sujas, se divirta um pouco com a maldade que assistir em filmes, seja um pouco mau de vez em quando, seja insensato em alguns momentos. Imagino que você possa pensar: ” Foi isso que ele disse, deve ser isso que ele queria dizer.”

Mas isso “bate de frente “com os ensinos de Jesus e dos apóstolos, que dizem que nossa justiça deve exceder e muito a dos escribas e fariseus, caso contrário não vamos entrar no Reino dos Céus (Mateus 5.20), e ainda “sejam santos porque o seu Pai do céu é santo” (1 Pedro 1.16, 17); veja que isso “bate de frente” com o que o próprio autor de Eclesiastes escreveu ao final do livro: “Aqui termina meu relato. Esta é minha conclusão: tema a Deus e obedeça a seus mandamentos, pois esse é o dever de todos.”(Eclesiastes 12.13) e ainda acrescenta: “Deus nos julgará por todos os nossos atos, incluindo o que fazemos em segredo, seja o bem, seja o mal.” Eclesiastes 12.14

Em outras palavras, ele não encoraja a desobediência, seja de um ou dois mandamentos ou uma mentira de vez em quando. Não diz isso. Na verdade ele diz que toda ação vai ser julgada e todos os segredos vão ser revelados. 

Essas não são palavras de um homem que acredita que podemos relaxar nosso cuidado em obedecer a tudo o que Deus diz. A Bíblia inteira, mas o contexto do livro de Eclesiastes, nos deixa um alerta para que nenhum de nós acredite que ele está nos ensinando a ser maus em alguns momentos, perversos de vez em quando, ou um pouco insensatos dependendo da ocasião. Eclesiastes 7.16 diz: “Não seja demasiadamente justo e não seja demasiadamente sábio. Por que você se destruiria? 

Retidão dos Fariseus

Agora, e se eu falasse essa frase de uma forma diferente? ” Não seja muito justo e não busque ser ainda mais justo. Não se torne cheio de sabedoria.” O que você pensaria dessa frase? Na minha opinião, você poderia concluir que ele nao esta nos alertando sobre a verdadeira sabedoria, e nao esta falando sobre como evitar a maldade, a verdadeira perversidade, mas está nos alertando contra um tipo de retidão que é excessiva, excessiva no sentido de ser meticulosa demais, desequilibrada e exibida. 

Assim que eu digo isso eu lembro quase que imediatamente das palavras de Jesus sobre o tipo de justiça distorcida dos fariseus, ou talvez, uma retidão excessiva dos escribas e fariseus. 

Por exemplo em Mateus 23.23-24

“Que aflição os espera, mestres da lei e fariseus! Hipócritas! Têm o cuidado de dar o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas negligenciam os aspectos mais importantes da lei: justiça, misericórdia e fé. Sim, vocês deviam fazer essas coisas, mas sem descuidar das mais importantes. Guias cegos! Coam a água para não engolir um mosquito, mas engolem um camelo!”

“Nós não deveríamos nos preocupar com aspectos menos importantes da retidão, negligenciando aspectos mais importantes”

Sem forçar o entendimento podemos dizer que um excesso de retidão ou a retidão excessiva, à justiça super cautelosa a respeito do dízimo de cada tempero ou de cada frasco de pimenta, mas negligencia a justiça, a misericórdia e a fidelidade. 

Isso todos entendemos. Nos comunicamos assim. Jesus poderia ter facilmente dito, como Eclesiastes, “Não seja demasiadamente justo”, isto é, não seja excessivamente sábio porque esse é o tipo de sabedoria meticulosa, detalhista e uma justiça desequilibrada e exibida que Deus abomina. Então eu não acredito que o ponto de Eclesiastes é que deveríamos ser um pouco perversos ou às vezes insensatos, mas ao invés disso nós não deveríamos nos tornar tão preocupados com as aspectos menores da retidão negligenciando os aspectos mais importantes, ou não deveríamos tentar resolver problemas morais aplicando regras a casos distintos para justificar nossa falta de conhecimento, como faziam os Fariseus que tinham tudo mapeado para poder fazer as pequenas maldades que queriam fazer. 

E então no verso 17, alinhado ao verso 16, Eclesiastes diz: “Portanto, não seja justo nem sábio demais! Por que destruir a si mesmo?” Não consigo parar de pensar que ele estabeleceu esse paralelo sobre ser demasiadamente justo para expressar o quanto seria errado interpretar o versículo anterior sem a ironia que ele propõe. Seria forçar demais pensar que ele propõe que alguém seja insensato, mau, perverso. Seria loucura pensar nisso. Quero dizer, não podemos imaginar que o autor quis afirmar isso. Imagino que eles escreveram assim para que quando lêssemos pensássemos: “Claro que ele está sendo irônico”. 

Não seja um insensato

Então, eu acredito que ele está dizendo o seguinte: “Se você entendeu a ideia de que o pêndulo deve se alternar entre excessivamente justo e excessivamente perverso, nem pense que você conseguiria prolongar sua vida sendo uma pessoa extraordinariamente má. Nem comece a considerar que estou sugerindo que você deveria ser uma pessoa extremamente perversa. Não é isso. Você não pode salvar sua vida desse jeito.

“Deixe as verdades da Bíblia que são fáceis de entender controlarem o seu pensamento e não os temas mais difíceis.”

E então, pra terminar ele diz: “Não seja insensato”. E a razão que isso se destaca é porque ele não diz: “Não seja extremamente insensato” ou “Não seja excessivamente insensato”. Ele diz isso sobre a retidão, ele diz isso sobre a maldade. Ele não afirma isso sobre ser um insensato. E imagino que seja a forma dele afirmar o seguinte: “Ei, você pegou a mensagem?” Somente um insensato entenderia o que acabei de dizer como se eu incentivasse você a ser mau de vez em quando ou perverso em alguns momentos da vida. 

Agora um alerta sobre esses trechos difíceis da Bíblia e esse é um deles. Primeiro, deixe que as verdades claras da Bíblia controlem sua mente, não as que ainda estão obscuras na sua mente. Você tem a vida inteira para estudar e entender com clareza esses trechos difíceis, mas você está sendo chamado a obedecer neste momento, agora. E a segunda coisa é que precisamos estar alertas a pessoas que usam textos que ainda não entendemos para justificar comportamentos errados. Isso não é uma evidência da sabedoria bíblica ou da retidão bíblica. 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *