Como deixar de ser egoísta?

Egoísmo é o oposto de Cristo. É o oposto da vida santa. A escuridão do egocentrismo é o oposto de Cristo e do seu Evangelho, minando todos os objetivos da vida cristã. O egoísmo autodestrutivo ainda está em nós. Queremos nos livrar disso. Devemos lutar contra isso. E isso leva a pergunta de hoje feita por um ouvinte:

“Pastor John, preciso de ajuda para superar meu egoísmo. Sou um homem de dezessete anos. As pessoas ao meu redor dizem que sou egoísta, principalmente as pessoas que me amam e são mais próximas de mim, minha namorada, por exemplo. Eu quero me tornar altruísta. O problema continua voltando mesmo quando penso que estou fazendo progressos. Tenho sido relutante em admitir meu egoísmo e mudar. Como posso aprender a me tornar um jovem altruísta e abandonar o egoísmo?”

 

Bem, não conhecê-lo pessoalmente faz com que seja um pouco desconfortável te dar conselhos mais específicos. Então eu acho que a primeira coisa que eu realmente deveria dizer é que seria sensato você procurar um cristão maduro fora desse círculo do qual você está falando – talvez seu pastor ou líder de jovens – e compartilhar com eles alguns dos detalhes específicos sobre o que as pessoas estão dizendo que o confunde; faça isso para obter a visão delas sobre o seu coração, pois elas o conhecem pessoalmente.

Tenha em mente que o apóstolo Paulo disse: “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria.” (Colossenses 3.16). Isso é o que você quer. Você quer alguém que seja rico em sabedoria bíblica, que esteja cheio da Palavra de Cristo, que possa te ajudar de perto. Isso é o que não posso fazer. Tenho que falar à distância em generalidades. Você precisa de alguém que conheça você – cheio de sabedoria bíblica, cheio de coragem para te falar a verdade. Então, este é meu primeiro conselho. Mas deixe-me tentar dizer algumas coisas gerais que espero que possam ajudar.

Monstro de Muitas Cabeças

O egoísmo é um monstro de muitas cabeças. É, em certo sentido, a doença mais destrutiva da alma humana. Absolutamente ninguém neste planeta, exceto Jesus, escapa da doença do egoísmo. As cabeças deste monstro são infinitamente diversas – e sei que a palavra infinitamente é um exagero. Eu sei disso, mas a questão é que a variedade de manifestações de egoísmo é infinita nesta vida. Você corta uma cabeça e outra cresce.

Você pode ser um viciado em televisão que está sempre esperando que os outros lhe sirvam sua pizza, ou pode estar servindo incessantemente, desejando profundamente que eles valorizem você por seu serviço.

Você pode ser a pessoa que mais ora em seu grupo de oração, mas pode nunca ter confessado pecados pessoais em suas orações públicas naquele grupo e pedido perdão por não querer revelar essa parte de si mesmo.

Você pode ser aquela pessoa que sempre está apontando as injustiças do mundo e defendendo aqueles que estão sendo maltratados, mas talvez a atenção que você chama para si mesmo por demonstrar tantas virtudes nesta sua luta é o que te motiva.

Simplesmente não há fim para as sutilezas do egoísmo em todos nós, não apenas em um jovem de dezessete anos lutando com seu próprio coração.

Enfrente o Monstro

Devemos combater este monstro em duas frentes. Ambas são bíblicas, e a segunda frente é dominante – deveria ser dominante. Mas ambas estão certas, boas e necessárias.

A primeira é enfrentar o monstro. Olhe para baixo, reconheça-o, fique com o coração partido por isso. Tenha ódio pelo egoísmo. Declare guerra contra isso. Mate isso. Isso é o que Paulo quis dizer em Colossenses 3.5, quando disse: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena” – e uma das coisas que ele menciona é o “mau desejo”, como o egoísmo.

Isso incluiria orar contra isso, detectar os seus primeiros sinais e resistir, reivindicar a sua nova posição de aceitação e justificação em Cristo e dizer: “Eu sou uma nova criação. Este monstro feio não é quem eu sou. Essa não é a minha verdadeira identidade”, e então renunciar à tentação como estranha à sua alma, o que realmente é. É estranho à sua alma em Cristo Jesus.

Agora, essa é a primeira frente – aquela luta direta, agressiva, negativa e mortal que devemos travar todos os dias porque é isso que a Bíblia diz que devemos fazer.

Seja cheio de Cristo

A segunda frente em que lutamos é encher as nossas mentes e corações com tanto de Cristo que os impulsos egoístas são derrotados por sufocamento. Eles não têm espaço em seu coração. Eles não conseguem respirar lá. Há muito Cristo. Eles morrem, não principalmente por causa de um ataque direto, mas porque algo tomou o seu lugar – a saber, o amor humilde e agradecido por Cristo.

Então, a analogia é uma jarra cheia de gases tóxicos. Agora, qual seria a melhor maneira de tirar a fumaça da jarra? Você poderia atacá-los diretamente conectando um aspirador e sugando-os – ou, mais simplesmente, de forma mais eficaz, você poderia derramar água limpa e fresca na jarra e forçar a saída de todos os vapores tóxicos, substituindo-os por essa fresca água.

É assim que os pecados são superados de forma mais eficaz. Nossa alma é a jarra, o egoísmo é a fumaça tóxica e Cristo é a água que a expulsa – especificamente, Cristo experimentado em nosso conhecimento de Cristo, em nosso amor por Cristo, em nossa confiança em Cristo. Experimentar Cristo – presente, reinando, governando, fixando morada em nossas vidas, plenamente em comunhão – empurra isso para fora. Em outras palavras, a melhor maneira de combater o egoísmo não é pensar no egoísmo, mas pensar em Cristo, e especificamente pensar no grande Salvador que ele é, no grande conselheiro que ele é, no grande amigo, no grande Senhor, sustentador, campeão.

Se as nossas vidas, as nossas mentes e os nossos corações estão transbordando de admiração pela grandeza, pela beleza e pelo valor de Cristo, e pelo valor imensurável do que ele fez por nós, não é provável que seremos vistos como egoístas. Pessoas egoístas estão preocupadas consigo mesmas e não com Cristo. Elas desejam ser reconhecidas, valorizadas e com o enfoque nelas, em vez de Cristo ser reconhecido, valorizado e glorificado.

Considere-o

Esta é uma questão de emoção autêntica e sincera. Você não pode produzir isso. O objetivo é sentir – sentir verdadeiramente – a preciosidade de Cristo. Esse é o objetivo. Tem que ser real. Isto é o que Paulo quis dizer quando disse: “Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor” (Filipenses 3.8). Essa é a chave. Isso não foi um show para Paulo. Ele não estava fingindo. Ele estava expressando os afetos mais profundos de seu coração. “Eu amo Jesus Cristo mais do que tudo.”

Portanto, a estratégia para superar o egoísmo é Hebreus 3.1: “Considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus”. Ou Hebreus 12.3: “Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vos fatigueis, desmaiando em vossa alma”. Este é o trabalho para uma vida inteira, não o trabalho de um momento – todos os dias, concentrando a atenção da nossa mente e o afeto do nosso coração em Cristo e no tipo de pessoa que ele é e na grandeza do trabalho que ele realizou.

Acho que Jesus tinha em mente o perigo do egoísmo quando disse aos seus discípulos, que tinham acabado de experimentar grandes vitórias sobre Satanás, que eles não deveriam se alegrar com isso, mas sim em que “O vosso nome está arrolado nos céus” (Lucas 10.20). Em outras palavras, é mais eficaz para vencer o pecado nós ficarmos surpresos por sermos salvos do que sermos bem-sucedidos – até mesmo bem-sucedidos pelo poder de Deus. Você poderia pensar que o sucesso do ministério é uma boa coisa para se alegrar, mas Jesus diz que é ainda mais importante se alegrar por conhecer a Cristo, alegrar-se por ter um relacionamento com Jesus, por passar tempo com ele agora e também por toda a eternidade.

Felicidade de braços abertos

Deixe-me dizer mais uma coisa rapidamente antes de pararmos. Visto que Jesus disse para amarmos o próximo como amamos a nós mesmos, fica claro que Jesus reconhece que existe um amor próprio adequado. Isso não é auto-estima. Isso é fazer o que trará alegria infinita e eterna à sua própria alma. Isso é amor próprio – fazer o que trará alegria infinita e eterna à sua própria alma.

E é isso que Jesus nos oferece. E então Jesus faz do nosso desejo pela nossa própria felicidade eterna a medida do nosso desejo pela felicidade dos outros, o que é muito radical. “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22.39). Você está buscando sua própria felicidade? Sim você está. Você está. Então faça disso a medida de sua busca pela felicidade de outras pessoas – o bem de outras pessoas.

Então, eu simplesmente acrescentaria isso à sua estratégia contra o egoísmo. Sempre que você busca algo para si mesmo, o que você fará, por exemplo – você come, dorme, faz exercícios – pergunte o seguinte: “Tenho um desejo efetivo em meu coração de que outros compartilhem comigo deste bem temporal, desta felicidade, seja temporal ou eterna?” Não é egoísta buscar a sua própria felicidade se parte da sua própria felicidade é o desejo sincero de incluir outras pessoas nela – e isso é essencial para sua busca por felicidade não ser algo egoísta.

 


Conheça os livros de John Piper pela Editora Fiel – clique aqui.

Veja mais episódios do John Piper Responde – clique aqui!


Fonte: https://voltemosaoevangelho.com/blog/2024/03/como-deixar-de-ser-egoista/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *