Como devo orar pela salvação do meu marido?

“Pastor John, meu nome é Rose e meu marido não é um cristão. Por favor, me responda: como devo orar para que meu marido seja salvo?”

 

Como eu gostaria de poder ver o coração triste de Rose e identificar onde ela sente a maior dificuldade em orar por seu marido incrédulo. Quantas vezes ela deve orar? Como continuar orando depois de décadas sem ver nenhuma mudança? Como enfrentar a perda de esperança, ou perda de amor em seu coração? Isso pode levar a um esfriamento da confiança em Deus? São aspectos práticos como: “Devo orar em voz alta? Devo orar sozinha no meu quarto? Quantas vezes por dia devo orar por ele?” Exponho meu marido se pedir oração por ele em grupos na internet ou na igreja? Algumas mulheres me perguntam isso. Devemos orar por ele na presença dele? Devo pedir a Deus que envie alguém para conversar com ele ou orar diretamente por sua alma? Como eu gostaria de ter mais detalhes sobre essa família.

Mas talvez seja apenas um pedido sincero do coração desta mulher dizendo: “Me ajude. Diga alguma coisa que possa me encorajar ou me fazer continuar a orar pelo meu marido”. Não sei os detalhes de sua luta, só sei que já faz muito tempo que está orando por seu marido.

Soberania que sustenta a esperança

O que gosto de fazer é sugerir uma forma esperançosa de orar pelos entes queridos que ainda não conseguem crer. Existe um ponto realmente importante na convicção bíblica que deixa claro que Deus é soberano e, quando Deus escolhe alguém, somente ele pode vencer toda resistência e salvar o pior pecador. Não acredito que os seres humanos tenham poder de resistir à vontade soberana de Deus.

Alguns podem pensar que esse tipo de soberania absoluta sobre a vontade humana, que acredito profundamente ser bíblica, criaria uma sensação de fatalismo, talvez, ou desânimo de que Deus pode não escolher salvar a pessoa por quem estamos orando. Mas se olharmos por outro ângulo, percebemos que na realidade isso cria esperança, uma esperança real em um Deus soberano. Significa que Deus realmente pode salvar, não importa o que o incrédulo faça ou tenha feito. Nada pode deter o poder de Deus em salvar.

“Deus realmente pode salvar, não importa o que o incrédulo faça ou tenha feito. Nada pode detê-lo.”

Isso significa que não importa quanto tempo passe, não importa quanto  pecado foi cometido, não importa o grau de dureza de coração, não importa o antagonismo desrespeitoso, não importa a zombaria em público e não importa nenhuma resistência furiosa – nada pode impedir a salvação se Deus quiser tirar a dureza do coração e salvar. Para mim, essa é a única esperança que temos de que os incrédulos sejam salvos, porque todos eles estão mortos em seus delitos e pecados – e morto é morto. Não há nada que eu possa fazer. Se Deus não fizer isso, as pessoas permanecem mortas e eu teria permanecido morto.

Nosso Pai Generoso

Então, apoiado sobre esta convicção da soberania sustentadora de esperança de Deus, eu amo orar pelas promessas de Deus, especialmente as promessas da nova aliança de salvação. Mas, antes de mencionar algumas delas, acho encorajador lembrar a mim mesmo que Deus sente alegria em responder às orações de seus filhos. Eu preciso sempre ser lembrado dessa verdade poderosa. Ele não é um Pai mesquinho.

Então, leio sempre Mateus 7.9–11:

Ou qual de vós, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem!”

Ou Lucas 12.32: “Não temas, pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino”.

“Deus realmente se deleita em responder às orações de seus filhos.”

Jesus disse tudo isso para nos encorajar a orar, para nos lembrar que devemos pensar nele dessa maneira – um pai generoso. Ele gosta quando nos vê orar: Ele é um pastor desejoso em abençoar, um rei que anseia conceder coisas boas aos que fazem parte do seu reino.

E então, lembrando da alegria de Deus em ouvir nossas orações e responder nossos pedidos, posso me concentrar nas promessas da nova aliança.

Transformando promessas em orações

Lembre que a nova aliança, de acordo com Ezequiel 36, é diferente da aliança mosaica porque não vem apenas com exigências externas; nos capacita a experimentar a possibilidade de viver mudanças no coração de forma real. Ele diz: “Farei com que andes nos meus estatutos” (Ezequiel 36.27). “Não vou apenas dar-lhe estatutos – farei com que você ande nos meus estatutos.” Essa é a chave da nova aliança. E Jesus disse que esta nova aliança foi assegurada por ele mesmo por seu próprio sangue. Ele ergueu o cálice na Última Ceia: “Este cálice que é derramado por vós é a nova aliança no meu sangue” (Lucas 22.20). Ele pagou o preço.

Então, vamos lembrar agora algumas promessas da nova aliança que gosto de transformar em orações por aqueles que ainda não conseguem crer.

‘Torne-se o Deus dele.’

Ezequiel 11.19–21:

“Dar-lhes-ei um só coração, espírito novo porei dentro deles; tirarei da sua carne o coração de pedra e lhes darei coração de carne; para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os executem; eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.”

Então, minha sugestão é que você ore por seu marido dessa maneira: “Querido Pai, eu oro por meu precioso marido para que o Senhor, em sua grande misericórdia comprada pelo sangue de Jesus, tire o coração de pedra e dê a ele um coração aberto para você. Coloque um novo espírito nele. Dê a ele uma nova disposição para amar sua palavra e manter seus mandamentos em seu coração. Que o Senhor se torne o Deus do meu marido. Faça dele seu filho.

‘Circuncide o coração dele.’

Ou aqui está outra promessa da nova aliança, de Deuteronômio 30.6. Deus espera o dia em que um profeta como Moisés surgirá – ou seja, Jesus – e promete isso para seus escolhidos:

“O Senhor , teu Deus, circuncidará o teu coração e o coração de tua descendência, para amares o Senhor, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma, para que vivas.”

Então, você ora: “Ó Pai, nenhum de nós te ama primeiro e volta por si mesmo seu próprio coração para te amar. Não podemos amá-lo a menos que o Senhor, em seu grande, livre e gracioso amor, primeiro circuncide o nosso coração. Creio que o Senhor pode eliminar a velha natureza de auto-exaltação e autogoverno. O Senhor fez isso por mim. Eu não merecia isso mais do que meu marido. Ó Deus, eu imploro, circuncide e mude o coração dele para que seja liberto da resistência à tua verdade, bondade e beleza. Faça com que ele, ó Senhor, te ame por causa de Cristo”.

‘Conceda-lhe o arrependimento.

Pense na instrução e na promessa em 2 Timóteo 2.24–26. Essa promessa se aplica a todos nós que, a qualquer momento, usamos a palavra em oração para tentar tirar um incrédulo das trevas. Escute o que a Bíblia diz:

Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Então, oramos: “Pai, embora ninguém mereça ser salvo, ninguém merece o dom do arrependimento, ninguém merece escapar do diabo, no entanto, tu és um Deus de misericórdia. Sei disso porque escapei quando estava tão cego e envolvida na morte quanto meu marido. Aqui estou orando, amando ao Senhor, confiando em ti! Tu és um Deus de misericórdia e, se quiser, pode conceder arrependimento, libertação, fé e vida. Eu sei que o Senhor tem misericórdia de quem quer ter misericórdia. Sei que tu és todo poderoso e onisciente e, como seu filho, peço que, para a sua glória, conceda arrependimento a meu marido.

Não perca o coração

E poderíamos continuar,  transformando as promessas e as obras de Deus em orações.

Poderíamos transformar Atos 16.14 assim: “Senhor, abra o coração dele como abriu o de Lídia.” Ou poderíamos transformar 2 Coríntios 4.6 assim: “Pai, resplandece em seus corações a luz do evangelho da glória de Deus na face de Cristo”. Ou podemos orar as palavras de Jesus em Lucas 18.27: “Senhor Jesus, tu disseste sobre a conversão do homem rico: ‘O que é impossível para o homem é possível para Deus‘. Converta meu marido”.

Então, Rose, estamos com você neste grande trabalho de luta em oração por seu marido que ainda não consegue crer. Não vamos esquecer as palavras de Jesus em Lucas 18.1: “sempre . . . ore e não desanime”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *