O que vale é a intenção! Será?

Quando o assunto é buscar a Deus e adora-Lo você já pode ter ouvido a seguinte frase: “o que vale é a intenção”, principalmente em situações onde as pessoas professam outras religiões. Mas a pergunta é: “será”? Quando recorremos às Escrituras Sagradas, veremos que a resposta a essa pergunta é um enfático: “não”!

Deus é muito claro em nos dar diretrizes e nos ensinar a maneira correta de como Ele deve ser adorado e o que Ele requer de nós. Um exemplo claro disso está registrado em Levítico 16.10, que diz:

“O Senhor falou com Moisés depois que os dois filhos de Arão morreram ao entrar na presença do Senhor.”

Você se lembra do que aconteceu com os filhos do sacerdote Arão? Vamos refrescar as nossas memórias:

“Nadabe e Abiú, filhos de Arão, colocaram brasas em seus incensários e as salpicaram com incenso. Com isso, trouxeram fogo estranho diante do Senhor , diferente do que ele havia ordenado. Por isso, fogo saiu da presença do Senhor e os devorou, e eles morreram diante do Senhor.” Levítico 10.1,2

Observe que os filhos de Arão tentaram oferecer a Deus um culto como bem entenderam, sem atentar para as ordenanças que Deus havia dado, e isso teve consequências. Mas, fique tranquilo, querido leitor, Deus não vai nos fulminar. Porém o princípio de ordem e decência, de O adorarmos da maneira correta, permanece até hoje (veja 1Co 14.40). Nós não podemos nos achegar diante de Deus de qualquer jeito, sem reverência, devoção, amor e tremor, mesmo que tenhamos as melhores das intenções. Como já diz o velho ditado: “De boas intenções o inferno está cheio”.

Entendido isso, a segunda coisa que devemos nos atentar é para pergunta: “Como Deus deve ser adorado”? A resposta é: “de acordo com as Escrituras Sagradas”. A forma, a maneira, o modus operandi, estão descritos na própria Palavra de Deus. É nela que encontramos as respostas. Não pode ser algo de acordo com a nossa mente pura e simplesmente, ainda que tenhamos boas intenções. Romanos 1.21 vai nos dizer:

“Sim, eles conheciam algo sobre Deus, mas não o adoraram nem lhe agradeceram. Em vez disso, começaram a inventar ideias tolas e, com isso, sua mente ficou obscurecida e confusa.”

Querido leitor, diante disso, que possamos nos atentar para essa verdade de que Deus é quem decide a maneira como Ele quer e deve ser adorado, e a minha oração é que você ame as Escrituras Sagradas, estude-a, valorize-a, viva-a, e que através dela você possa adorar a Deus segundo a Sua vontade.

Prossigamos.
SDG.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *