Maturidade na fé

Amadurecimento não diz respeito apenas às questões da vida secular para o cristão. Há pessoas que fazem uma separação entre os assuntos que têm com Deus e os que dizem respeito aos outros ou a si mesmas. Mal sabem elas que todos os pontos de interesse que o coração humano administra devem prestar contas ao Senhor.

Sabendo disso, o crente deve ter disposição para fazer a vontade de Deus. E esse desígnio de agir precisa partir do próprio cristão. O Senhor não puxará ninguém pelo braço dizendo o que deve fazer ou não. O crente maduro espiritualmente tem noção das consequências de seus atos e quando ele deve agir ou não.

O escritor da epístola estava preocupado com a situação da igreja em seu tempo. Muitas pessoas que já deveriam demonstrar atitudes coerentes com um cristão continuavam a engatinhar na fé.

Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal. Hebreus 5.12-14

Hoje as coisas não estão tão diferentes nas igrejas dos gentios. Crentes com décadas de conversão ainda apresentam uma fé que parece uma montanha-russa: quando tudo está bem, ficam no topo; se algo vai mal, gritam enquanto caem. Ou não têm o cuidado devido com doutrinas espirituais básicas, como a leitura constante da Bíblia e o hábito da oração.

Se não existir da parte do cristão o desejo de se desenvolver espiritualmente, ele nunca sairá dos primeiros ensinos e terá uma fé débil. Ficará sempre dependente de um pastor/líder para fazer qualquer coisa que diga respeito à sua vida espiritual. No final, acaba cumprindo meros protocolos, já que nem entende as razões de estar seguindo determinada liturgia.

Se somos chamados a exercer um culto racional (Romanos 12.1), não podemos nos deixar levar pelas emoções exacerbadas para presumir, por exemplo, que uma reunião da igreja agradou a Deus ou não.

Um cristão amadurecido entende a razão de sua fé porque a busca constantemente na Palavra de Deus. E não fica só nisso: ele incentiva os que estão ao redor para seguirem o mesmo caminho de conhecimento.

Que passos você tem dado em direção a uma maturidade na fé?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *