Não sinto o amor de Deus – o que posso fazer?

Hoje olhamos novamente para a vida quando ela está mais sombria. Os cristãos muitas vezes passam por períodos sombrios, às vezes longos períodos sombrios. Talvez seja você agora. Talvez este episódio seja providencialmente colocado em sua vida neste momento.

A pergunta de hoje de um jovem que mora com seu pai na Califórnia. “Querido pastor John, há algo que eu possa fazer para ajudar Deus a ajudar meu pai? Não estamos na melhor situação de vida e, embora tenhamos orado, não encontramos um novo lugar para morar. Estou buscando ativamente o Senhor todas as manhãs e estou tentando levar meu pai até aqui, mas ele ainda luta com sua fé. Ainda ontem à noite ele disse que não sente o amor de Deus por ele como seu filho. A vida está difícil para ele agora e Deus se sente distante. O que posso dizer e como posso orar por um pai que não sente o amor de Deus?

Aqui está o que eu gostaria que meu filho fizesse por mim se eu estivesse em um lugar escuro como seu pai está agora. E eu poderia estar lá; Eu estive lá. Não há cristão que não experimente momentos em que Deus parece distante ou quando não sentimos o seu amor tão docemente como gostaríamos.

Medite na Cruz

Primeiro, gostaria que você, meu filho, me falasse a verdade sobre a realidade objetiva do amor de Deus no ato histórico da morte de seu Filho. Mesmo que seu pai não sinta agora a preciosidade do amor de Deus ao dar seu único Filho, ele precisa ouvi-lo. “A fé vem pelo ouvir” (Romanos 10:17) – repetidamente, não apenas no começo.

Faça para ele a conexão entre o amor de Deus e a morte de Jesus, porque esse é o fundamento objetivo e sólido de nossos sentimentos de ser amado. Por exemplo:

  • Romanos 5.6-8 diz: “Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5.6–8).
  • Gálatas 2.20 diz: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.” (Gálatas 2.20).
  • 1 João 4.10 diz: “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.” (1 João 4.10).
  • João 15.13 diz “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.” (João 15.13).
  • E essa palavra preciosa, no tempo presente, ama em Apocalipse 1.5: “e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados,

Isso é o que precisamos ouvir. Isso é o que eu precisaria ouvir e o que seu pai precisa ouvir. Quando nossos sentimentos não correspondem à realidade, precisamos de uma verdade histórica, sólida e objetiva sobre a morte de Jesus.

O tesouro que é estar vivo em Cristo

Se eu fosse seu pai, gostaria de ser lembrado de que o amor de Deus por mim me foi demonstrado não apenas quando Cristo morreu, mas também quando ele me vivificou e me deu a semente de mostarda da fé que estou lutando para adquirir. Agarrar. Como em Efésios 2.4-5 “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos,” (Efésios 2.4–5). Se tenho alguma vida em mim, por menor que pareça agora, é devido ao grande amor de Deus por mim ao me tornar vivo.

Lembre ao seu pai que quando Deus nos tornou seus pelo seu grande amor, nada pode agora nos separar dele:

Estou certo de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os governantes, nem as coisas presentes nem as coisas futuras, nem os poderes, nem a altura nem a profundidade, nem qualquer outra coisa em toda a criação, será capaz de nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus nosso Senhor. (Romanos 8.38–39)

Aprenda a culpa corajosa

Surpreenda-o com uma passagem na qual ele talvez nunca tenha pensado, como a de Miquéias 7.8-9. Eu amo essa passagem. Eu chamei isso de culpa corajosa:

“Ó inimiga minha, não te alegres a meu respeito; ainda que eu tenha caído, levantar-me-ei; se morar nas trevas, o Senhor será a minha luz.

Sofrerei a ira do Senhor, porque pequei contra ele, até que julgue a minha causa e execute o meu direito; ele me tirará para a luz, e eu verei a sua justiça.”  (Miquéias 7.8–9)

Mesmo quando pecamos e entramos nas trevas, o filho de Deus pode falar com ousadia às trevas e dizer: “Trevas, você não terá a última palavra. Até o Deus que me colocou aqui na disciplina, que fez com que as trevas me cobrissem, ele me tirará de lá. Ele executará o julgamento por mim, não contra mim.” Isso é o que chamo de culpa corajosa para os filhos justificados de Deus.

Espere pela manhã

Lembre-lhe que mesmo quando a escuridão nos cobre, e onde quer que vamos devido ao nosso cansaço e falta de sentimento, Deus está lá, e ele é a nossa luz, escute o que diz o Salmos 139.7–12:

“Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.”

E isso é tão relevante para seu pai:

“Se eu digo: as trevas, com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim se fará noite, até as próprias trevas não te serão escuras: as trevas e a luz são a mesma coisa.” (Salmos 139.7–12)

E então adicione a promessa de Salmos 30.5 para uma doce aplicação desse salmos:

“[…] Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã.” (Salmos 30.5)

Ore por força espiritual

E, finalmente, lembre-o de que o apóstolo Paulo sabia que a luta para sentir o amor de Cristo faria parte da guerra cristã, por isso ele nos ensinou como orar sobre isso:

Oro para que você tenha força, como em Efésios 3.18–19: “a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.” (Efésios 3.18–19)

O que é surpreendente nessa oração é que Paulo nos mostra que é preciso força para compreender o amor de Cristo. Existe um tipo de força da alma que Deus dá em resposta à oração que nos permite compreender, sentir e desfrutar o amor de Deus em Cristo por nós pessoalmente.

Então, eu oro, para que você se encha de paz, alegria e esperança ao compartilhar essas coisas com seu pai. E você pode dizer a ele que nossa família está orando por ele.


Fonte: https://voltemosaoevangelho.com/blog/2023/10/nao-sinto-o-amor-de-deus-o-que-posso-fazer/

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *